resenha / review

Au-Dessus – End of Chapter

a0154562826_16É sempre bom ver uma banda pela qual você tem uma grande admiração se sobressair e até mesmo superar suas expectativas em relação à ela. Isso resume minha situação com a Au-Dessus, fui apresentado à música feita pela banda na época do lançamento de seu EP auto intitulado em 2015 e foi um daqueles casos em que a identificação com a proposta musical da banda aconteceu de uma forma imediata. Em End of Chapter, álbum de estreia da banda lançado em 19 de Maio, ela dá continuidade ao conceito introduzido no EP de 2015 e o resultado é um dos meus álbuns favoritos do ano até o momento.

Ver que a Au-Dessus tem atraído tanta atenção com álbum justifica como ela amadureceu e conseguir expandir suas qualidades. A banda combina o Post-Black Metal com o Post-Metal de uma forma que se sobressai em relação à maioria dos lançamentos dessa esfera, conseguindo combinar muito bem a essência de ambos. Brutal, pesado e atmosférico, é assim que End of Chapter irá se manifestar para o ouvinte.

Partindo da fúria constante do Black Metal, carregando uma série de riffs dissonantes e berros melancólicos, a banda consegue desenvolver as faixas de uma forma que agrada, muitas vezes culminando em ótimas passagens em que os elementos do Post-Metal e Sludge ficam em evidência como na faixa “IX”, sua parte final é algo que você esperaria encontrar em um álbum do Cult of Luna. “VI” é outro grande exemplo disso. Abrindo ao melhor estilo de algumas das melhores bandas do Black Metal da última decada, o ritmo crescente apresenta estruturas que vão se tornando cada vez mais intensas. E novamente, a banda muda seu plano principal para algo mais rico em melodias e atmosferas mais densas, contando com o uso marcante do vocal limpo.

E a capacidade do grupo em não se prender na mesma estética ao longo do álbum, é um dos principais motivos para que End of Chapter seja um álbum tão agradável. A forma como as faixas evoluem, introduzem novas dinâmicas e proporcionam as mais variadas sensações, transforma cada faixa em um verdadeira jornada, algo que resumiria bem a faixa “X”, minha favorita do álbum. E por mais que a banda possua uma sonoridade repleta de elementos já conhecidos, End of Chapter é um álbum que necessita de algumas audições mais atenciosas e pacientes para ser inteiramente compreendido e apreciado. Com um desfecho tão empolgante como esse, é inevitável não ficar ansioso para saber o que virá nos próximos capítulos contados pela Au-Dessus.

Tracklist:
01 – VI
02 – VII
03 – VII
04 – IX
05 – X
06 – XI
07 – XII: End of Chapter

 

Anúncios

Um comentário em “Au-Dessus – End of Chapter

  1. ALBUM REVIEW: AU-DESSUS – END OF CHAPTER

    It’s always good to see a band that you have a great admiration for stand out and even surpass your expectations about it. This summarizes my situation with Au-Dessus, I was presented to the music made by the band at the time of the release of their self titled EP in 2015 and was one of those cases when the identification with the musical proposal of the band happened in an immediately. In End of Chapter, the band’s debut album released on May 19th, it continues the concept introduced in the 2015 EP and the result is one of my favorite albums of the year until now.

    See that Au-Dessus has attracted so much attention with album justified as they matured and are able to expand it qualities. The band combines the Post-Black Metal with Post-Metal in a way that stands out relative to most of the releases of this sphere, achieving very well combining the essence of both. Brutal, heavy and atmospheric, that’s how End of Chapter will manifest to the listener.

    Starting from the constant fury of the Black Metal, carrying a series of dissonant riffs and melancholic bellows, the band manages to develop the songs in a manner that pleases, often culminating in great passages in which the elements coming from Post-Metal and Sludge are in evidence as in the track “IX”, its final part is something you would expect to find on a Cult of Luna’s album. “VI” is another great example of that. Beginning in the best style of some the finest Black Metal bands from the last decade, the growing rhythm features structures that will become increasingly intense. And again, the band changes its main plan to something richer in denser melodies and atmospheres, counting on the striking use of clear vocals.

    And the group’s ability to not hold on to the same aesthetics along the album, is one of the main reasons for the End of Chapter to be such a pleasant album. The way tracks evolve, introduce new dynamics and provide the most varied sensations, transforms each track into a true journey, something that would summarize the track “X”, my favorite of the album. And as much as the band possesses a sound-filled with elements already known, End of Chapter is an album that requires some more thoughtful and patient auditions to be fully understood and appreciated. With such an exciting outcome, it is inevitable not to be anxious to know what will come in the next chapters.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s