resenha / review

Electric Wizard – Wizard Bloody Wizard

electric_wizard_wizardbloodywizard_cover

Wizard Bloody Wizard é o nono álbum de estúdio do Electric Wizard, lançado no dia 17 de Novembro via Spinefarm Records.

Eu admito que não fui um daqueles que amaram o Time to Die de 2014, mas também não fui um daqueles que colocaram defeitos exagerados no álbum, na época eu imagino que fiquei um pouco saturado da banda e da sua dinâmica que na ocasião não me empolgou como eu gostaria, sendo mais uma questão de opinião e gosto pessoal do que uma crítica definitiva do disco.

E com Wizard Bloody Wizard, a banda fez aquilo que eu esperava no Time to Die, dar uma leve sacudida e tentar algo “diferente”. E mesmo que no geral eu não considere o álbum como um de seus trabalhos mais inspirados, ele conseguiu prender minha atenção e me agradar.

O álbum mais curto da discografia da banda traz uma série de influências de nomes clássicos do rock dos anos 60 e 70, apostando dessa vez em algo mais bluesy, abandonando aquelas distorções ensurdecedoras que eu amo, o peso devastador constante e soando mais limpo do que o habitual. Se há algo que continua sendo um elemento presente nos álbuns da banda, é a influência que os filmes de horror explotaition continuam exercendo na temática e parte visual do álbum (a capa está longe de ser uma das mais criativas).

E como eu citei anteriormente, Wizard Bloody Wizard é um álbum que eu considero agradável. Alguns riffs são simplesmente viciantes e faixas como “See You in Hell” e “Necromania” me fisgaram logo na primeira audição. “The Reaper” traz um clima vintage e obscuro com direito à um órgão que adiciona muito ao tom sinistro da faixa que exala doses de psicodelismo, servindo basicamente como um interlúdio para a faixa seguinte “Wicked Caresses”. E uma menção especial a “Mourning Of The Magicians”, a mais longa do álbum e certamente aquela que emana o lado mais sombrio do grupo, além de trazer algumas das passagens mais intensas e pesadas do disco que me deixaram pedindo por mais.

Não me entendam mal, Wizard Bloody Wizard é um bom disco e com algumas faixas que eu realmente adorei, mas não é algo que estará entre meus favoritos do ano. Mesmo sem representar a grandeza da banda ou trazer algo mais memorável que outros discos dela possuem, ele consgue apresentar alguns pontos positivos, mas é algo que pode frustrar aqueles que ainda esperavam uma versão 2.0 do Come My Fanatics ou uma continuação do Dopethrone.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s