resenha / review

Troubled Horse – Revolution on Repeat

Eu já fui um verdadeiro fanático por essa tendência retro, desde que tive a oportunidade de conhecer melhor as bandas que integravam essa cena anos atrás, eu tive uma boa relação tanto com nomes mais populares quanto com algumas pérolas que passam despercebidas pela maioria. Mas confesso que de um tempo pra cá estou em dívida com essa tendência, talvez eu tenha ficado saturado de tanto escutar ou apenas precisava de algo “novo” para restauram meu interesse. E sinto que encontrei em Revolution on Repeat, segundo full lenght da banda sueca Troubled Horse lançado no dia 31 de Março pela Rise Above Records, algo que além de renovar meu interesse, é capaz de transmitir as mesmas boas sensações que tive nas minhas primeiras experiências.

Estamos falando de uma banda já com um tempo considerável de estrada, a Troubled Horse foi formada em 2005 e como eu mencionei acima, este é apenas o seu segundo álbum de estúdio. E mesmo apresentando uma série de mudanças em seu line up, a Troubled Horse consegue manter uma química incrível, como se todos os membros presentes estivessem tocando juntos por muitos anos. Além do vocalista e fundador Martin Heppich, a banda conta com Mikael Linder (guitarra), Tom (baixo) e Jonas (bateria).

Revolution on Repeat é composto por dez faixas que se destacam pelas composições marcantes e dinâmica afiada, contando um repertório variado no qual a banda é capaz de explorar ao máximo suas influências, além da performance vocal esplêndida de Heppich, capaz de se adequar perfeitamente diante daquilo que for requerido. E isso é algo que faz o álbum fluir de uma maneira agradável, não há aquela exaustão ou sensação de se estar escutando a mesma faixa várias e várias vezes. Do ritmo electrizante e acelerado de faixas como “Hurricane” e “Let the Bastards Know”, a suavidade tocante de “Desperation”, a pegada southern rock de “Peasants” , ou mesmo explorando um lado mais country com o cover de “My Shit’s Fucked Up” do Warren Zevon, a banda sucede em criar uma versatilidade que melhor represente suas percepções ao longo do álbum.

E mesmo apreciando o álbum em sua totalidade, eu gostaria de destacar as faixas “The Haunted” e “Bleeding”. Eu mencionei como o instrumental rico da banda e os vocais de Heppich dão um tom inteiramente agradável à Revolution on Repeat, mas ao menos para mim, nessas duas faixas em especial isso ganhou outras proporções tanto na variedade quanto na qualidade, são aquelas faixas que sempre serão as primeiras que lembrarei ao falar do álbum em outras ocasiões.

E após tudo isso dito, não é necessário mencionar que este é um álbum que eu recomendaria a todos que se identificam com essa proposta, não é mesmo? Boa audição!

Tracklist:
01 – Hurricane
02 – The Filthy Ones
03 – Which Way to the Mob
04 – Peasants
05 – The Haunted
06 – Desperation
07 – Track7
08 – My Shit’s Fucked Up
09 – Let Bastards Know
10 – Bleeding

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s