resenha / review

Lychgate – The Contagion In Nine Steps

Lychgate tem se especializado em criar álbuns que fujam dos clichês mais encontrados dentro do metal , fundindo elementos da música clássica com vertentes extremas do metal com o intuito de criar sua própria sonoridade, algo que você possa distinguir quase que imediatamente assim que uma das música feitas pelo grupo britânico comece a tocar. E em seu trabalho mais recente, The Contagion In Nine Steps. a banda pode ter criado o álbum mais fascinante em sua discografia.

Há uma sensação inicial de estranheza, mas não no sentido de que a banda crie música com esse intuito, a forma como ela mescla todos esses elementos vindos da música clássica, Black Metal e Doom Metal, é simplesmente bela e instigante, fugindo daquilo que você poderia considerar como o mais comum vindo de bandas da cena extrema que tentam sair da rotina.

O uso do órgão e piano ao longo do disco é sem dúvida algo para ser elogiado várias e várias vezes. Desde a abertura com a faixa ‘Republic’, eles adicionam uma camada mórbida e misteriosa à música da Lychgate, como se o próprio Fantasma da Ópera fosse um membro da banda.

Todo o processo de instrumentação em The Contagion In Nine Steps é incrível. Além de termos a oportunidade de perceber e sentir nitidamente cada instrumento em um perfeito equilíbrio. Há uma série de variações e dinâmicas progressivas na música da Lychgate que impedem que as faixas se tornem longas e cansativas jornadas. Cada uma delas desempenha um papel dentro da abordagem escolhida pelo grupo que neste álbum foi inspirado pelo livro “A Nave Invencivel” do Stanislaw Lem, algumas dando mais ênfase nesses elementos da música clássica e outras canalizando a energia das vertentes extremas presentes na música da banda, como na faixa ‘Unity of Opposites’.

E para uma banda que possui uma paleta musical tão rica e diversificada, é de se esperar que tal característica seja também representada na performance vocal. E felizmente, ela é. Partindo de vocais operísticos que complementam e elevam a sensação de profundidade das faixas (como a já citada ‘Republic’), à guturais enfurecidos e berros inumanos que se espalham através das faixas ‘Hither Comes The Swarm’ e ‘The Contagion’. Ou mesmo os vocais limpos poderosos e repletos de emoção na faixa de encerramento ‘Remembrance’, a Lychgate parece ter cuidado de cada mínimo detalhe para que o álbum canalizasse toda criatividade que a banda têm demonstrado ao longo do anos.

A Lychgate consegue ousar, reinventar e demonstrar uma inspiração absolutamente expressiva e tocante em The Contagion In Nine Steps. É um trabalho magistral que está em constante evolução e que eu recomendo à todos aqueles que esperam algo diferente e bem elaborado vindo dos cantos mais sombrios do metal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s