resenha / review

Haunted – Dayburner

6b24ae0d-9fa2-4d65-ba6d-4fe3699791f3

Dayburner é o mais novo álbum da banda italiana Haunted, já disponível para streaming e com lançamento oficial das versões físicas agendadas para o dia 8 de Junho via Twin Earth Records (CD) e Graven Earth Records (K7). O disco de estreia deles foi uma das boas surpresas que tive em 2016, trazendo uma sonoridade pesada e sombria nos moldes da Windhand, o que me causou uma boa impressão e naturalmente me deixou curioso para saber o que a banda entregaria futuramente.

Dayburner segue basicamente os mesmos padrões sonoros do álbum de estreia, a banda optou por aprimorar o tipo de som que fazia ao invés de propor mudanças drásticas à sua fórmula. E não digo isso para insinuar que o álbum seja apenas uma repetição do primeiro ou algo do tipo, há certos momentos em que você pode perceber que a banda está experimentando algo novo, mas sem sair do caminho que escolheram. É uma decisão mais segura e que não afeta o desempenho do disco, principalmente se você já havia gostado do que ouviu anteriormente.

A banda está mais sombria do que antes e as composições apresentam melhorias em todos os aspectos. As guitarras no disco são fascinantes dentro da ótica oculta e macabra que existe na música da Haunted, sendo responsáveis pelos já conhecidos e apreciados riffs marcantes e pesados, mas também adicionando algo à mais como os arranjos suaves que retiram inspiração da música folk na abertura da faixa título, ou a atmosfera espessa e envolvente existente na faixa ‘Vespertine’, que é a mais distinta do álbum e traz algo de diferente ao âmbito musical do grupo, tanto no ponto de vista de estilo quanto de estrutura.

E como não poderia ser diferente, os vocais da Cristina Chimirri estão fantásticos. Eu sinto que toda a banda se sentiu um pouco mais livre, e confortável neste álbum, e isso é algo que reflecte diretamente na performance dela, que demonstra ainda mais versatilidade e passionalidade em Dayburner do que havia nos transmitido no álbum de estreia. Ela tem uma presença forte, soa misteriosa, tocante e libertadora, é o tipo de voz ideal para representar o tipo de som feito pela banda e isso fica claro ao escutar faixas como ‘Mourning Sun’ ou ‘Waterdawn’.

Em Dayburner a Haunted se mostra mais madura e eficiente naquilo que sabe fazer de melhor, o que será motivo suficiente para agradar tanto aqueles que curtiram o disco de estreia, quanto aqueles que estiverem conhecendo o trabalho da banda através deste álbum.

Tracklist:

01 – Mourning Sun
02 – Waterdawn
03 – Dayburner
04 – Communion
05 – Orphic
06 – Vespertine
07 – No Connection With Dust
08 – Lunar Grave

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s