news

Abraxas lança disco de estreia da Bears Witness

‘Book of Bob’ é o primeiro trabalho de estúdio da Bears Witness, uma tonelada de riffs sujos e lamacentos e letras remetem a uma lenda urbana do ABC paulista da década de 1970, entre humor e tosquices, e marca também a estreia da banda na Abraxas Records. Ouça já nas principais plataformas de streaming: https://ONErpm.lnk.to/BearsWitness.

Lucas Guanaes (vocal, baixo), Fernando Giunti (vocal, guitarra), Paulo Silveira (guitarra), Rodrigo Rousseaux (bateria) se enfurnaram no estúdio Costella, junto ao produtor Gabriel Zander, e assim nasceu ‘Book of Bob’. As letras contam a saga, entre nascimento e morte, do Menino Diabo do ABC, baseado em uma história inventada pelo jornal Notícias Populares em 1975.

Na semana de lançamento de ‘Book of Bob’, o Bears Witness também liberou o videoclipe da música ‘Harbinger’, com produção de Paulo Benjamin, a partir de imagens captadas em alguns dos shows realizados ano passado. Confira: https://www.youtube.com/watch?v=czv952SQRRI.

O show de lançamento do disco de estreia já está agendado. Acontece dia 22 de setembro na Dissenso Lounge, um dos espaços mais bem equipados da capital paulista, e terá Dum Brothers e Tranco como bandas convidadas. Marque presença: https://www.facebook.com/events/688210084907092/?ti=cl.

Anúncios
news

Em disco de estreia, Vênus Negra mostra stoner rock com atmosfera cósmica

Riffs arrastados, densos, mas também recheados de fuzz, em compasso com o baixo pulsante e batidas rítmicas moldam o stoner rock da Vênus Negra, que viaja entre ondas psicodélicas e momentos doom. Com estes elementos, a banda de Natal (Rio Grande do Norte) experimenta diversas sonoridades no envolvente disco de estreia homônimo, já nas principais plataformas de streaming pela Abraxas Records: https://onerpm.lnk.to/VenusNegra.

Conterrâneos de outras duas forças do selo da Abraxas – Son of a Witch e Galactic Gulag – a Vênus Negra existe desde 2013. Hoje é Jônatas Barbalho (bateria), Gilson Sá (baixo), Williane Oliveira (guitarra) e Tomaz Jackson (guitarra), a formação que compôs e gravou o álbum no final do ano passado e, desde o início de 2018, se aventura em importantes festivais locais.

A gênese da Vênus Negra está na faixa “Sputnik 1957”, que também foi o primeiro single da banda. É uma música instrumental envolvida pela atmosfera cósmica, que faz alusão ao nome – Sputinik é o nome do primeiro satélite feito pelo homem a ser lançado na órbita da Terra, pela então chamada União Soviética, em 1957. Como pontua a banda, traz à tona “a sensação de navegar o desconhecido, com sentimento de espera pelas surpresas que esse universo misterioso tem a revelar”.

news

Em novo EP, ITD avança com doom metal cantado em português

abraxas.ITD

Puxado pelo single Peregrinação, lançado na primeira quinzena de maio, a banda de doom metal brasiliense Into the Dust, a ITD, acaba de lançar o seu segundo EP. As quatro faixas do registro, disponíveis nas principais plataformas de streaming via Abraxas Records, podem ser conferidas aqui: https://ONErpm.lnk.to/ITD.

O novo EP, sem nome, é um complemento natural do EP originalmente lançado em 2014 e disponibilizado ano passado pela Abraxas para streaming. É doom cantado em português, por diversas vezes escatológico, mas também com duras críticas à avareza e mesquinharia que corrói o homem.

A faixa de abertura, ‘Escolhido’, é uma alegoria sobre o ser humano e sua função social no mundo. A seguinte, ‘Relíquias do Caos’, retrata Brasília, mais exatamente sobre a destruição moral dos políticos corruptos. Já ‘Era Sombria’ é basicamente sobre egoísmo, emendada a um bônus, ‘Fraus’, que fala sobre misericórdia.

Apesar de Black Sabbath ser o principal norte da ITD, referências além doom também pontuam este EP, que ora é arrastado, ora aposta no peso cadenciado. Para o baixista Sandro Santos, este novo material tem um aspecto de “volta às origens” da banda, ao mesmo tempo em que continua a incrementar a música com outras possibilidades sonoras. Entre algumas influências, Santos cita os norte-americanos do Eyehategod, lendário nome do sludge/doom metal, na ativa há quase 30 anos, e que se apresentará pela primeira vez no Brasil nos dias 13 e 14 de outubro, no Abraxas Fest.

Completam o ITD Humberto (bateria), Nossat (guitarra/vocal) e Glauber (guitarra). O lançamento ao vivo do EP acontece dia 30 de junho, em Brasília, no Ragnarock Cultura Underground (Ceilândia). Para a ocasião, a Into the Dust convida quatro bandas: Soror, A Peste, Device e Lastro.

 

news

Gods & Punks adiciona peso e novos experimentos em ‘Ceremony of Damnation Pt.1’

gods

‘Ceremony of Damnation Pt.1’ é o EP que sucede o elogiado disco de estreia ‘Into the Dunes of Doom’ (2017). Num curto intervalo entre os lançamentos, a Gods & Punks avança na proposta de experimentar sonoridades e apresenta neste novo registro três músicas que ampliam sua já marcante personalidade musical, agora transitando entre o stoner, o progressivo, blues e pelo metal. O registro, que sai pela Abraxas Records nas plataformas de streaming, pode ser conferido aqui: https://ONErpm.lnk.to/GodsAndPunks

A arte gráfica do EP, que mantém o diálogo e a temática futurista dos demais álbuns do quinteto carioca, mais uma vez tem a assinatura de Cristiano Suarez, hoje um dos mais conceituados ilustradores do Brasil.

‘Welcome to the Ceremony’, ‘Ground Zero’ e ‘Blood Moon Sky’ são mais longas e experimentais, ao mesmo tempo que se apresentam como as composições mais sólidas da Gods & Punks. Todas as passagens são milimetricamente bem construídas e conectadas com virtuosismo e punch.

Estão previstos ainda para 2018 mais dois lançamentos: ‘Ceremony of Damnation Pt.2’ e o segundo álbum, que será a junção dos dois EPs e mais outras inéditas.

resenha / review

ITD debate alienação religiosa e política em nova música

into

Na linha de frente da resistência do doom metal tradicional brasileiro há mais de 20 anos, o Into the Dust (ITD) divulga a nova música ‘Peregrinação’, que anuncia o lançamento do EP que sai em junho. A Abraxas Records já disponibiliza ‘Peregrinação nas principais plataformas de streaming: https://ONErpm.lnk.to/ITD.

Black Sabbath continua como a principal referência do ITD, que recheia ‘Peregrinação’ de riffs potentes e arrastados. A mensagem, em forma de crítica, trabalha com a escatologia em analogia à alienação política.

“Essa música, em particular, trata da forma como as pessoas esperam, sempre, por alguém para seguir. É a alienação do pensamento frente a um candidato, a um líder religioso, que na da verdade são apenas restos de ideia, mas mesmo assim querem segui-las”, conta o baixista Santos.

Completam o ITD os mesmos três integrantes da formação original da primeira demo junto a Santos: Humberto (bateria), Nossat (guitarra/vocal) e Glauber (guitarra). A banda gravou ‘Peregrinação’ no Bradband Studio, com Caio Duarte, e a arte do single é assinada pelo talentoso Tiago Prado.

news

Bandas da Abraxas sorteiam CDs no Sundaze Stoner Mountains

Petrópolis recebe no dia 22 de abril o Sundaze Stoner Mountains, festival que reúne quatro bandas do novo rock nacional autoral voltado ao stoner e rock psicodélico. Gods & Punks, Blind Horse, Disaster Cities e Laboratório Groove estão escaladas para alucinar o evento que acontece a partir das 14 horas no Saloon Melusine.

Sorteio de material de todas as bandas e comercialização especial de cervejas artesanais tornam o Sundaze Stoner Mountains ainda mais imperdível. No dia, um domingo, quem comprar o ingresso também vai concorrer a CDs de três das atrações do evento, que serão sorteados em kit único. Para ter a chance de ganhar, no entanto, é preciso comparecer ao festival! O sorteio acontecerá no dia, com os nomes que os presentes deixarão na entrada.

As duas cervejas artesanais que a Bast Bier leva ao Sundaze Stoner Mountains são a Belgian Blond, cerveja clara um pouco adocicada com bastante corpo, e a Stout, estilo irlandesa com aroma bem presente, sabor de grão acentuado e bastante corpo.

GODS & PUNKS – O show no Sundaze Stoner Mountains antecede outros dois compromissos da banda ainda nesta semana, também no Rio de Janeiro. Na quinta-feira, 19, toca ao lado da Disaster Cities e Quarto Astral a partir das 19h30 no La Esquina, na Lapa. No dia 21, um sábado, a Gods & Punks novamente se encontra com a Disaster Cities e a Blind Horse no segundo dia do Sessão Cósmicas Festival, que acontece no Nectar Som (Vargem Grande).

A mini-turnê é um pré-aquecimento para o lançamento do EP Ceremony of Damnation Pt. I, sucessor do disco de estreia Into the Dunes of Doom, previsto para chegar às principais plataformas de streaming no próximo mês de maio. O EP, aponta o vocalista Alexandre Canhetti, traz um stoner encorpado e diversificado, com acentuadas referências ao blues, mas também ao heavy metal.

Gods & Punks (foto Victor Mancebo)-4
Foto: Victor Mancebo

SERVIÇO

Sundaze Stoner Mountains em Petrópolis (Rio de janeiro)

Evento: https://www.facebook.com/events/1255732567894077

Bandas: Gods & Punks, Disaster Cities, Blind Horse e Laboratório Groove

Data: 22 de abril de 2018

Horário: a partir das 14 horas

Local: Restaurante Girassol das Araras

Endereço: Estrada Bernardo Coutinho, 2651

Ingresso: R$ 20

news

Com novo nome, Auramental lança single ‘Aura’

Auramental

 

O nome mudou, assim como evoluiu o rock progressivo instrumental altamente influenciado pelo krautrock deste quarteto carioca, agora ainda mais lapidado e psicodélico. O Auramental, que antes atendia apenas por Aura, anuncia a mudança com o lançamento do single Aura, disponível pela Abraxas Records nas principais plataformas de streaming: https://onerpm.lnk.to/Auramental.

Aura, uma viagem pesada e psicodélica de 11 minutos, saiu no final do último mês de março, quando a Auramental iniciou a turnê como banda suporte do power trio americano Radio Moscow. O single foi executado ao vivo nos três shows – São Paulo, Aldeia Rock Festival e Rio de Janeiro – e, pelas palavras do jornalista Daniel Dutra da revista Roadie Crew, a música reverbera “a lá Black Sabbath vitaminado por algum alucinógeno”.

A troca de nome, de acordo com o baixista Bauer França, carrega burocracia e sensibilidade. “Notamos muitos registros com o nome Aura e agora achamos uma nova cara e um melhor significado. É o início de grandes mudanças”, ele conta, já preparando o terreno para o lançamento do primeiro full, que sai ainda este ano também pela Abraxas Records.

Auramental, para a banda formada em 2014 por jovens músicos, é um nome que representa a conexão, presente no som, nos improvisos e em tudo que a música proporciona nas relações profissionais e pessoais dos integrantes.  “Tem base nos nomes dados a nossa energia, que flui recebendo e passando ideias, reverberando pensamentos e autoconhecimento”, comenta Bauer. Completam a Auramental Enzo Mastrangelo (guitarra), Paulo Emmery (guitarra) e Vicente Barroso (bateria).

O compacto de estreia, Sonho/Pedra, foi também lançado pela Abraxas em novembro de 2017, e apresenta uma viagem prog dividida em duas faixas que possuem todos estes elementos e expõem o lado ‘jam band’ do quarteto.